A LEGÍTIMA ALMA MISSIONÁRIA

“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem”. (João 4.23)

Estava nesta manhã pensando em Missões. Naquilo que as Escrituras ensinam e no contexto atual da Igreja Brasileira. Organizando os pensamentos, ficou inviável não produzir sentimentos, tanto de esperança quanto de desespero, numa dialética que somente um ser racional habitante na carne e no osso é capaz de experimentar, às vezes até de modo simultâneo.

Para muitos, fazer Missões é ir para bem longe e anunciar o evangelho de Cristo. Para outros, não necessariamente, pois podemos fazer aqui ao lado. Há quem pense que Missões é para que mais pessoas se convertam e fortaleçam eclesiológica e sociologicamente a Igreja de Jesus no mundo, a fim de que este seja melhorado. Eu diria que tudo isso pode ser verdade, mas o objetivo da Missão é algo muito maior: A GLÓRIA DE DEUS.

Não queremos que as pessoas tão somente creiam, mas que conheçam. Não queremos que apenas conheçam, mas amem. Não queremos que apenas amem, mas que adorem. O objetivo inequívoco da obra missionária é fazer com que mais e mais pessoas adorem a Jesus no fim de tudo. Queremos que Ele seja o centro de cada ser e que governe soberanamente em cada coração. Ansiamos por ver homens e mulheres, de todas as idades, rendidos em louvor e adoração ao Cristo que venceu tudo desde sempre. Anunciamos a revelação de que Deus se revelou como sendo Ele mesmo o Evangelho; a Sua pessoa é a boa notícia e a Sua realização trouxe-nos a vida. Não queremos apenas encher Templos e realizar grandes eventos de ajuntamento de gente, mas desejamos que o Cordeiro receba a recompensa total do Seu sofrimento através da nossa entrega total de vida por amor. A legítima alma missionária está ciente e consciente do verdadeiro objetivo da Missão, pois um dia a pregação cessará, bem como o ensino/discipulado, porém, a adoração ao Cordeiro de Deus [que com o Seu sangue nos comprou para Ele mesmo], esta certamente será eterna, preciosa e para infinitamente além da capacidade humana de imaginação.

Que possamos orar hoje pedindo ao Pai para que nos dê mais da mentalidade do Seu Filho, que a Si mesmo renunciou, tomou a Cruz e abriu o caminho para todo homem adorar ao Pai em espírito e em verdade. Este é o fim da Missão; a glória de Deus.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *